10 abril 2014

VDK-2945

000 Campeões da Copa do Nordeste – (Vice)
001 1994  Sport-PE (CRB-AL)
002 1997  Vitória-BA - (Bahia-BA)
003 1998  América-RN - (Vitória-BA)
004 1999  Vitória-BA - (Bahia-BA)
005 2000  Sport-PE (Vitória-BA)
006 2001  Bahia-BA - (Sport-PE)
007 2002  Bahia-BA - (Vitória-BA)
008 2003  Vitória-BA - (Fluminense-BA)
009 2010  Vitória-BA - (ABC-RN)
010 2013  Campinense-PB - (ASA-AL)
011 2014  Sport-PE (Ceará-CE)
#
=Recortagem (11)=
13

9 comentários:

fluminense disse...

Boooooooooom dia Amigos.

chicão parece que o papa hoje atuou, bola pra frente!

vovô, Flamerda goleado em pleno Maracanã, sua previsão:

Mengão vai lotar o Maracana nesta 4ª feira e desbancar o Glorioso de ter o maior publico e renda da LA até agora ... eu vou bestar firme e forte frente a frente na telinha ...

----------

Futebol se ganha em campo, hoje foi ótimo, bastante testemunhas para ver o LEON jogar e mostrar que o time da Gávea não passa de uma utopia!

Ay, ay, ay, ay, canta y no llores,
Porque cantando se alegran,
Cielito Lindo, los corazones.
Ay, ay, ay, ay, canta y no llores,
Porque cantando se alegran,
Cielito Lindo, los corazones.



aiaaiaiaiai uiuiuiuiuiuiui

A VOLTA DO CAVALO PARAGUAIO

PLOC PLOC TUM PLOC


hehehehehehehe


STSF Olavo

Tarcisio disse...

Não sei se foi uma participação digna meu caro driver mor...
Muito fraca a atuação do Bota, exceto pelo início que enganou bem, até eu desconfiado, achei que passaria pela fase de grupos. Embora tive certeza de sua eliminação no Maraca, naquele 1x0.
Na Argentina eram favas contadas, esse time vai penar muito prá ficar entre os 16 do Brão, se não mudar esse técnico, sei não....

Admirei mto ver o time da lagoa ser eliminado, foi uma surpresa.
O que dirá um certo torcedor Rubro Negro do outro lado da Baía.

Hj se o Flu do Olavão não passar do poderoso Horizonte, cabeças vão rolar, literalmente...

Cotas iguais já!!!!!!!!!!!!

Abs

Tarcisio disse...

"O Botafogo correu, lutou enquanto suportou, mas acabou derrotado para o San Lorenzo por 3 a 0, no Estádio Nuevo Gasómetro e encerrou sua participação na Copa Bridgestone Libertadores. Com os resultados definidos no Grupo 2, o Glorioso ficou a um ponto das oitavas de final. Unión Española e San Lorenzo avançaram."

Não vamos nos enganar Botafoguenses, tem jogadores que não podem jogar no time...
Lodeiro é um deles, muito abaixo do que se pode esperar.
A zaga precisa ser novamente repensada. com a volta do Edílson, precisamos de um lateral e um zagueiro. o ataque não existe, não podemos contar com Ferreira que sózinho não vai poder fazer nada.
Volto a não assistir jogos do Botafogo, minha religião não permite...

E outra coisa, ese arremedo de técnico sem condições...

Cotas iguais já!!!!!!!!!!

Fui

Chico da Kombi disse...


Bom dia, amigos.

Tarcisão, meu rei, falo que a participação foi DIGNA porque o time, mesmo limitadíssimo e sem treinador, lutou até o fim em todos os jogos.
Mesmo com salários atrasados, não faltou vontade do elenco, faltou foi qualidade mesmo.

Agora, com os cofres vazios, é esquecer a Libertadores e focar na luta por uma vaga no G-16 do Vergonhão-2014.

FORÇA FOGÃO!

Abraços ireceenses, The Best Olavo e Tarcisão Norusca.


fluminense disse...

Boooooooa tarde Amigos.


Kkkkkkkkkkk e hehehehehehehehe

tarcisão qualquer resultado hoje contra o Horizonte não me surpreenderá, já que ninguém foi contratado para zaga nem para armação, estou cansado de falar que o time tirando quatro é uma droga!


Um TBA





STSF Olavo

DataKombiNews disse...


http://esportes.r7.com/blogs/cosme-rimoli/foi-um-grande-vexame-o-rico-futebol-brasileiro-nao-tinha-o-direito-de-perder-a-metade-dos-seus-times-na-primeira-fase-da-libertadores-flamengo-botafogo-e-atletico-paranaense-sofrem-com-a-incompeten-10042014/

Chico da Kombi disse...


Boa Sorte ao Flu, The Best Olavo.

Boa tarde.

http://blogs.lancenet.com.br/charges/2014/04/10/horizonte-perdido/

Anônimo disse...

Virou sparring

CARLOS EDUARDO MANSUR
10.04.2014 10h00m
O planejamento do Botafogo para 2014 conduziu à seguinte situação: estamos no meio de abril e, até agora, o alvinegro venceu seis dos 23 jogos oficiais que disputou no ano.

A estatística fria já é terrível. Quem se ocupar de procurar, daqui a alguns anos, os registros da participação do clube no Estadual e na Libertadores de 2014, estará diante destes números desalentadores. Mas o pior mesmo é a forma como o Botafogo se permitiu exibir: fragilizado, pouco à vontade num torneio internacional.

Quando a torcida encheu o Maracanã na fase preliminar, ficava claro: o clube tinha o dever de compreender que chegara o momento de acertar contas com a história, reencontrar seu verdadeiro tamanho. Mas o Botafogo ofereceu à torcida um time modesto, uma comissão técnica modesta. E não se trata de ser modesto apenas no valor de mercado. É ser modesto na ambição, na ousadia, na aptidão para jogar uma competição de porte.

Quando a disputa apertou, quando se mostrou mais desafiadora, o Botafogo se sentiu deslocado na festa. Podem argumentar que a realidade do clube é difícil. Pois fica aqui a proposta: que se compare o nível de investimento do Botafogo com o Independiente del Valle, que ficou à frente do alvinegro no grupo. O orçamento do Botafogo é 15 vezes maior. A crise de um clube de ponta no Brasil é luxo perto da realidade ordinária de um time equatoriano.

No Maracanã, no jogo verdadeiramente fatal contra o Unión Española, o Botafogo foi prejudicado, sim. Só que jamais foi dono da partida. Não foi decidido, não foi decisivo. Mais do que qualidade, faltou atitude. É óbvio que um time que aposta no quarteto Jorge Wagner, Lodeiro, Wallyson e Ferreyra não desponta como candidato a bicho papão da América. Mas diante de um modesto rival chileno e de um ainda mais modesto equatoriano, a obrigação é ser competitivo.

E na frieza dos números, mesmo que não tivesse o pênalti mal marcado contra si no Maracanã, o alvinegro hoje estaria eliminado da mesma forma.

E nesta quarta, em Buenos Aires, os minutos finais do jogo com o San Lorenzo foram um retrato do papel que o Botafogo assumiu. Os argentinos no Nuevo Gasómetro e os equatorianos do Independiente em Santiago brigavam para ver quem fazia mais gols e conquistava a vaga. E o Botafogo? Era mero sparring do San Lorenzo. Jamais contra-atacou, parecia se aceitar um time inferior. Levou um gol após outro e viu a Libertadores se despedir sem esboçar reação.

DataKombiNews disse...


Mais que mergulhar no museu dos números após a eliminação de Flamengo e Botafogo na primeira fase da Libertadores e/ou mostrar o histórico vexame dos paulistas, deve-se olhar para o próprio umbigo, tentar encontrar uma explicação para o tombo da milionária pátria das chuteiras.

O Urubu voou pela quarta vez para fora do torneio na fase inicial, um recorde entre clubes brasileiros. E daí?

Nos últimos 16 anos, sempre uma equipe carioca ou paulista participou das oitavas de final. E daí?

A verdade é que a bolinha de gude da ponte aérea Rio/SP, com salários astronômicos a jogadores de nível técnico mais que discutível e a 'professores' especializados numa mesmice tática do tempo da onça, vem levando um sonoro baile de mercados mais competitivos e menos inflacionados.

Um exemplo da ótima relação custo/benefício de um ludopédio que caminha a passos largos para o precipício: André Santos e Carlos Eduardo consomem mensalmente algo em torno de R$ 1 milhão no Urubu.

Outro: Botafogo topa pagar R$ 250 mil a Emerson 'Bitoca', para felicidade geral de um elenco que clama por vale refeição, já que não recebe há um bom tempo.

Mais: para livrar-se de alguns medalhões, o iluminado Corinthians paga metade do salário deles - o são-paulino Pato nada em R$ 400 mil do ‘bando de loucos', além do aluguel de uma choupana (R$ 40 mil).

Já o soberano Tricolor, o Peixe e o Palmeiras rebolam mais que cabrocha para honrar uma folha de pagamento superior a R$ 7 milhões. Têm mais papagaio que campeonato mundial de pipa.

Como se vê, um eldorado que merece muito mais explicações do que números que seriam absolutamente dispensáveis num futebol verdadeiramente profissional.

Que não se preocupa apenas com cobras traiçoeiras. Enxerga um futuro muito mais brilhante nas categorias de base.

A volta por cima de cariocas e paulistas deve começar na mamadeira, na expulsão de cartolas sanguessugas de uma alegria que está morrendo.

(José Roberto Malia/ESPN)