27 maio 2013

VDK-2604

0000: Maiores placares na Rodada da Série A:
2003: Guarani-SP 4x2 Vasco-RJ
2003: Corinthians-SP 0x3 Atlético-MG
2004: Botafogo-RJ 1x4 Goiás-GO
2005: Atlético-MG 4x1 Figueirense-SC
2005: Santos-SP 4x1 Paysandu-PA
2006: Palmeiras-SP 2x3 Ponte Preta-SP
2007: Figueirense-SC 3x6 Atlético-PR
2007: Sport-PE 4x1 Santos-SP
2007: Flamengo-RJ 2x4 Palmeiras-SP
2008: Flamengo-RJ 3x1 Santos-SP
2008: Portuguesa-SP 5x5 Figueirense-SC
2009: Goiás-GO 3x3 Náutico-PE
2010: Avaí-SC 6x1 Grêmio Prudente-SP
2010: Botafogo-RJ 3x3 Santos-SP
2011: Flamengo-RJ 4x0 Avaí-SC
2011: Atlético-MG 3x0 Atlético-PR
2011: Ceará-CE 1x3 Vasco-RJ
2012: Botafogo-RJ 4x2 São Paulo-SP
2013: Cruzeiro-MG 5x0 Goiás-GO
#
===Gloriosa (08)===
vdk

6 comentários:

fluminense disse...

Booooooom dia Amigos.

Uma historinha:

Histórias de um médico do interior

Lombalgia

Ao levantar-me da cama, pela manhã, senti a fisgada nas costas, embaixo, à direita, na região lombar, junto da coluna vertebral. Mau jeito na cama, pensei. A dor permaneceu por todo o dia, enjoada, piorando quando me assentava. Tomei um Beserol, à noite, e pensei que tudo estaria bem no dia seguinte. No dia seguinte, estava pior. Doía quando eu andava, quando assentava ou levantava.

_ Caso para Dorflex, falei, já preocupado em ter que ficar sem tomar cerveja, em pleno verão, enquanto estivesse usando o remédio. A dor continuava, espalhava mais para o lado direito, piorava aos movimentos da coluna, uma dor em queimação, constante, enjoada, irritante. Verdadeira dor de dentes nas costas, como dizia aquele general-presidente. Fiquei mal-humorado, com raiva de tudo e de todos.

_ Dói muito?, perguntou minha mulher, solícita, com um carinho. _ Não. Dor moderada, igual dor de parto. Ou, então, respondia: Nada, não, uma espécie de ferro em brasa nas costas. Ou: Não, só dói quando eu respiro. E dava outras respostas espirituosas desse jaez para me descontrair e irritar a perguntadora.

_ Isso é caso para japonês, aconse-lhou o amigo, já estendendo o endereço da clínica oriental. Procure o professor Nakamura, lá no bairro da Floresta.

Procurei o professor Nakamura, um japonês sorridente, simpático, cheio de gestos, que me fez uma porção de perguntas, apertou a mão nos meus pontos dolorosos e gritou: _ Fisioterapia primeiro! E me em-purrou para um salão cheio de camas de tração, forcas e outros instrumentos de tortura. _ Tração lombar, gritou para um auxiliar. Aqui tudo é no grito, pensei, meio assustado.

Esse é um caso para o Nakamura, Oyama, Miamoto, Takahashi...

Amarraram-me numa mesa acolchoada, com o corpo pendurado nela. Quando a máquina entrou em funcionamento, as correias me puxaram para baixo, com força, até que o motor deu um estalo e tudo voltou à posição inicial para então recomeçar o ciclo. Depois de quinze minutos, fui amarrado à cama de tração: pás amarradas numa plataforma, ombros presos noutra plataforma superior, ligou-se o motorzinho e sou puxado, metade para baixo e metade do corpo para cima. Ou vai ou racha.

Saí bambo da cama de tração. Fui lançado às mãos do professor Oya-ma.Manipulação. Iaaaahhhhh!!!, gritou o japonês. E me deitou num colchão de couro, deu golpes na coluna, levantou-me uma perna e deu um violento arranco, depois o mesmo na outra perna e mais arrancos no pescoço. _ Quando estalar, cura, gritou o japonês. Estalou?

_ Não, respondi desolado, o que também decepcionou o professor Oyama.

_ Enton, agora acupuntura, gritou. E lá fui eu para a sessão de acupuntura nas mãos do competente e simpático professor Na-kamura. Fiquei deitado de barriga para baixo, en-quanto o professor Naka-mura apalpava a região dolorida e enfiou umas agu-lhas fininhas nos pontos adequados. Depois, ligou as agulhas a uns fios, ligou uma maquininha e comecei a levar choques nas costas.

_ Agora só falta o pau-de-arara, falei.

_ Hein?, perguntou o japonês, sem entender a piada.

Meia hora depois, ele voltou. _ Enton, melhorou? Fiz uma careta, dobrei o pescoço para a frente e lamentei dizer que continuava doendo.


continua

STSF Olavo

fluminense disse...

.
Continuação:


Fui deitado de novo na cama, novas agulhas enfiadas nas costas. Desta vez não levei choques: o japonês encostou um ferro quente nas agulhas que foram queimando carne adentro. Agüentei firme e gri-tei que já estava curado, nada mais sentia. Paguei a fatura e caí fora, com lombalgia e tudo.

Tem um japonês fantástico ali na esquina, o Miamoto, ensinou outro amigo, dias depois. Tentei o japonês da esquina, um baixinho de cabelos curtos, espetados, que ouviu rapidamente minhas queixas e me mandou deitar de bruços. Ia Tem um japonês fantástico ali na esquina, o Miamoto, ensinou outro amigo, dias depois. Tentei o japonês da esquina, um baixinho de cabelos curtos, espetados, que ouviu rapidamente minhas queixas e me mandou deitar de bruços. Ia começar a sessão de acupuntura. Espetou as agulhinhas, depois colocou uma espécie de incenso nas agulhas e começou a riscar fósforos que queimavam o incenso que, por sua vez, esquentava as agulhinhas, me queimando as carnes. Como eu era o único cliente, o japonês ficou o tempo todo ao meu lado, contando casos. Contei-lhe sobre minha sessão anterior de acupuntura e manipulações. O sofrimento sem nenhuma melhora, as trações, os arrancos nas mãos do professor Oyama. _ Pois é, da outra vez que precisei, há cinco anos, fui atendido pelo professor Hiroshi, que é muito bom em manipulação. Mas, ele se mudou para o Japão.

Ah, sim. O Hiroshi veio comigo do Japão para Brasil, né?, junto com o Nakamura, nós três, né?, e mais o Oyama. Só que o Oyama era o nosso cozinheiro, falou o japonês, que começou a rir, mostrando os dentes compridos. Não achei graça nenhuma em ter sido tratado pelo cozinheiro da companhia.

Saí dali com alguma melhora mas, à noite, a dor voltou com maior intensidade, verdadeira brasa me que-imando as entranhas, sem encontrar qualquer posição de alívio. O cunha-do me orientou: você está indo nos japoneses errados. Procure o Takahashi, na Tomé de Souza.

No dia seguinte, bem cedo, procurei o professor Takahashi, um japonês á velho, mas bem conservado, cabelos brancos, lisos, que não respondeu ao meu bom dia. Fui dizendo o que sentia, enquanto, obedecendo ordem, tirava a roupa, fica só de cueca e me deitava no chão, sobre um colchãozinho. O japonês, des-calço, com o calcanhar pisou em toda minha coluna vertebral. Depois falou: você não tem nada na coluna, né?. E se minha coluna estivesse podre? O japonês a teria quebrado e triturado com aquele calcanhar duro e roliço. Xinguei a mãe dele, em silêncio, enquanto me deitava so-bre uma cama. Pensei que o Takahashi fosse começar uma competente sessão de manipulação, único recurso que acho eficiente nesses casos, mas não, ele iniciou foi uma violenta sessão de massagens. Foi até bom, me senti melhor. O japonês me disse que a massagem estava desembolando um nervo. Não sei qual nervo foi capaz de embolar naquela região. À noite, mais uma vez, a dor voltou com toda a força. Comecei a usar Feldene, deixando de lado, mais uma vez, as cervejas geladas daquele verão. No dia seguinte, todo torto, fui visitar um amigo que sofrera um acidente de carro. Conversa vai, conversa vem, contei sobre a minha lombalgia. _ Ah, você tem que ir no meu japonês. É um espetáculo, ao mesmo tempo em que abria a agenda e me dava o endereço do eu japonês-maravilha.

STSF Olavo

Fernando xaruto disse...

Parabens ao Botafogo pelo empate diante do Corinthians ...
-
-
O destaque desta primeira rodada do brão foi a torcida do Mengão que lotou e pintou de vermelho e preto o novo Estadio Mané Garrincha em Brasilia ... acho que não sobrou nenhum lugar para algum santista ... em campo infelizmente não vencemos um jogo da qual fomos melhores ... perdemos muitos gols e o empate acabou sendo um castigo ...
-
-

Tarcisão,

a UNIMED FC não tem folego para correr no Paraguai ... vai cair de 4 ... não é videncia e sim um fato ... antes corriam por causa dos dopings mas como o bicho pegou lá dentro ... quero ver ter folego ...

Tarcisio disse...

Vamos ver como vai se comportar o time do Santos sem o Neymar...
Tá na hora de apresentar um novo futebol, acho que foi a coisa certa, saiu na hora certa uma vez que se mais para frente, nãoi sobraria nenhuma migalha pro cofres da Vila...
Vamu q vamu...

Hj no globo esporte, muitos elogios pro no NegoSee, mas elogios à beça...
estranhei...
Será que tão querendo levar o Nego See pro Curingon???

Abs a todos

Daniel Pablo disse...

Ei papito, viu essa????????????


http://blogdopaulinho.wordpress.com/2013/05/27/medico-denuncia-suposto-esquema-da-rede-globo-para-prejudicar-o-botafogo-e-beneficiar-times-selecionados/


depois tem gente que ainda vai a campo vaiar jogador...



abraços !!!

DataKombiNews disse...

|

Receitas com o jogo de Brasília:
Empresa que organizou o jogo: R$ 6.148.710,00
Santos (mandante): R$ 800.000,00
Flamengo: R$ 0,00
Público: 63.501

http://esportes.br.msn.com/copa-2014/noticias/artigo.aspx?cp-documentid=257930561

|