01 maio 2010

VDK-1380

9 comentários:

Tarcisio disse...

Hoje tem Norusca tentando o Vice da segundona e o Fogão carimbando as faixas do Coxa....
Sbadão feriadão e sossegadão...
Bom pra colocar as coisas em dia...

Por aqui sol e calor com baixa umidade do ar...
Sinal de muito nariz ressecado...
:o(((

Sobre Palmeiras x Atlético:
Saiu no JC de hoje:
"Robston deixou o gramado tão indignado com o resultado, a ponto de dizer que não acreditava na derrota de seu time. Conseguimos perder para o Palmeiras..., disse o meia do Atlético Goianiense. Talvez Robston tenha exagerado, mas que o Verdão não vem assustando ninguém, é verdade"

Que soberba do meia...
Pior que isso é que o Verdão vai babando prá Goiânia. Essas declarações é bom falar quando a vaga está garantida, senão é ferro.

Até Rodrigo Tiuiuiuiu jogou bem no Palestra, que coisa doida...

Abs a todos e bom feriadão sossegadão à todos os Kombeiros.

fluminense disse...

Boooooooooooom dia para todos.

Chego na praça com um SOL lindo, as pessoas vindo para curtir o pedaço! Vou pegar esta kombi das09:45hs, pitacar e ir a praia!

chicão, esta kombi mais parece com uma viatura extra-terrestre! Hehehe. Um abração.

Bem, por enquanto nada de especial no Laranjal, as coisas alí andam em passos de cágado!

Tenham um ótimo sábado.

Um abração para todos.

STSF Olavo

mundy disse...

Bom Dia VDK, como sao as coisas, Celso Barros disse que se trouxesse Muricy , iria abrir os cofres para reforços e até agora nada, Muricy já deve estar pensando na aventura que se meteu, Vai largar o Flu e nao vai demorar nada, enquanto isso o Alcides antunes o Pior Vice Presidente , depois de Tote menezes que o Flu tem, mostra uma paixao por Tinga, o botinudo já descartou o Flu diversas vezes e o AA fica dizendo que ano desistiu do cara, olha seu AA a torcida do Flu já desistiu do Tinga faz tempo, ve senao faz merda.

Chico da Kombi, disse...

###

Bom dia, amigos.

O prazo de validade do Muricy pode estar chegando ao fim.
Ele não foi bem no Palmeiras e no Flu, não vai conseguir fazer omelete sem ovos.
:o(

Abraços, Tarcisão Norusca, The Best Olavo e tricolor Mundy.

###

Tarcisio disse...

"FRASE DO DIA":

"RESOLVI TODOS OS PROBLEMAS DA MINHA VIDA: MISTUREI ACTIVIA COM
JOHNNIE WALKER.

TÔ CAGANDO E ANDANDO..."

KKKKKKKKKKKKKK

fluminense disse...

Tarcisão, você é um poeta, sua rima só é vista em latrina. Hehehe. Um abração.


STSF Olavo

fluminense disse...

RELEMBRANDO:


sexta-feira, 2 de fevereiro de 2007
O realejo, José Bento Teixeira de Salles
Ninguém conhecia a história daquele velhinho do realejo.
Sabia-se apenas, pelo sotaque carregado, que ele viera da
Itália. Nada mais. Todas as tardes, lá pelas cinco horas, ele
passava pelo bairro, tocando naquela engenhoca uma
música monocórdia, profundamente triste.
Menino ainda, eu me encantei com aquele espetáculo
incomum. Depois, comecei a acompanhar o velhinho e
seu realejo pelas ruas íngremes do bairro. Achava pitoresco
quando uma doméstica sofrida, ou uma solteirona frustrada,
pagava dez tostões para o periquitinho tirar com o bico um
papelucho dobrado e entregá-lo à freguesa balzaquiana.
A empregada, ansiosa, desdobrava o papelzinho e
lia: “Não desanime na vida. Um dia, você será feliz. Talvez,
um bilhete premiado resolverá todos os seus problemas.
Ou então uma herança de um parente desconhecido. Quem
sabe?”
Sôfrega, a solteirona também lia seu papelucho:
“Quem espera sempre alcança. Vejo um moço bonito, alto,
louro, bem elegante, passando pelo seu destino. Ele a fará
feliz por toda a sua vida”.
O bom velhinho se alegrava assim, distribuindo a
ilusão e o sonho para aquelas infelizes mal-amadas.
Não sei, não, mas eu achava que aquele homem
tinha um olhar meio triste, como se estivesse fitando um
passado distante. Mas, ele sorria discretamente quando o
papel dobrado do periquito anunciava alegria e sorte.
Com o tempo, acompanhando o homem com
perguntas ingênuas e desnecessárias, tornei-me seu amigo
e confidente.
– Mas, por que o senhor veio para o Brasil?
Com aquele mesmo olhar tristonho, ele me contou a
sua história. Nascera realmente na Itália, de família modesta
e humilde, cujo chefe era encarregado de uma fazenda. A
filha do proprietário, moça bonita e vistosa, tinha uma linda
coleção de caixinhas de música, que ela adorava. Era raro
o dia em que não se punha a ouvir, uma a uma, a música
repetida daquelas preciosas caixinhas.
– Pouco a pouco, – disse o italiano – acabamos por
nos apaixonar. Era lindo vê-la à tarde, dando corda nas
caixinhas e bailando com leveza para acompanhar aquelas
músicas que ainda hoje retenho na lembrança.

Continua

STSF Olavo

fluminense disse...

Continuação:

De simples
namoro, passamos a uma paixão profunda e resolvemos
casar.
Naquele tempo porém, no tempo do realejo – disse –
os costumes na minha terra eram rígidos e todos obedeciam
cegamente aos pais. O fazendeiro se opôs firmemente ao
casamento, proibiu o noivado e resolveu levar a filha em
viagem ao exterior, na esperança de que ela se esquecesse
daquele amor juvenil.
No regresso, como ela insistisse em sua paixão, o pai
resolveu interná-la num convento religioso.
E acrescentou:
– Antes que isso acontecesse, ela fugiu de casa,
desesperada. No dia seguinte o corpo foi encontrado
boiando na grande represa que havia em frente da sede
da fazenda.
– Eu era jovem e sonhador – continuou o homem a
sua narrativa. Desiludido, vim para o Brasil e aqui estou
com este realejo, que para mim é um pedaço de minha
própria vida.
Esta história, meu filho, pode parecer banal e vulgar,
mas é verdadeira. O realejo a tocar é o único alívio para as
minhas dores, pois sua música me faz lembrar de minha
amada e da terra distante onde nasci.
– Tenho a impressão de que se este realejo deixar de
tocar, eu morrerei com ele – concluiu.
Os dias passavam e com o correr do tempo, foi se
transformando a paisagem do bairro. Cortinas de cimento
e de ferro dos edifícios encobriam as cores vespertinas de
Belo Horizonte. O sangue negro do asfalto regava as ruas
de violência e ódio. As crianças já não brincavam com
alegria e amizade. O doutor engravatado já não saía a pé
para tomar o bonde na esquina, nem os padeiros e leiteiros
iam de porta em porta entregando parte da subsistência do
dia.
Das janelas dos altos edifícios retumbava o estridor
de um bate-estaca abafando o som melódico do realejo.
Os tempos eram outros. Um dia, não mais do que de
repente, o bom velhinho deixou de percorrer o bairro
tocando a nostálgica música de sua engenhoca.
Ele morrera com ela, bem sabia eu.

STSF Olavo

Chico da Kombi, disse...

###

Boa noite, amigos.

Tudo igual na festa dos campeões:
Coxa 2x2 Fogão.

Que venha o Peixe, mas venha cansado e frito...

Ataque Mercosul neles!!

Abraços, Tarcisão Norusca e The Best Olavo.

#

A professora divide a classe em dois grupos para uma disputa de perguntas e respostas.
Joãozinho, todo ansioso, começa a provocar o outro grupo:
- Nós vamos arrasar com vocês, cambada de idiotas, vocês já perderam!
E Começa a disputa...
- Quem descobriu a América?
O grupo de Joãozinho responde:
- Cristóvão Colombo!
E o Joãozinho grita:
- Eu não falei? 1 a 0... uhuu!
A professora lhe repreende:
- Silêncio Joãozinho!
Outra pergunta:
- Que idioma se fala na Espanha?
O grupo de Joãozinho responde:
- Espanhol!
E o Joãozinho:
- Viram só? Eu disse, 2 a 0, vocês já eram... HAHAHA...
A professora lhe repreende:
- Cala a boca Joãozinho!
Terceira pergunta:
- Como Cristóvão Colombo chegou à América?
O grupo de Joãozinho responde:
- Nas caravelas.
Joãozinho, pulando no meio da classe e gritando:
- Eu bem que avisei, 3 a 0... UHUU... seus sacos de
merda... HAHAHA... HU-MI-LHA-ÇÃO!

A professora, de saco cheio, grita:
- Joãozinho! Levanta e sai, porra!
Joãozinho responde de imediato:
- O pênis, fessora! Show! 4 a 0 seus babacas!
A professora indignada volta a gritar:
- Joãozinho, sai e não volta mais!
Joãozinho contente responde:
- O cocô, professora. HAHAHA... se fuderam, 5 a 0!
A professora, não agüentando mais, grita:
- Joãozinho, SAI E NÃO VOLTA DENTRO DE UM MÊS!
Joãozinho, feliz da vida, responde aos berros:
- MENSTRUAÇÃO! PUTA QUE PARIU, 6 a 0.
GANHAMOOOOOOOSSS, CARALHO!


###