29 agosto 2013

VDK-2699

O melhor parceiro de Pelé, no Santos, era gordinho. Ganhava dos zagueiros, perdia da balança. Mas era o melhor parceiro de Pelé. Coutinho conseguia, apesar da pancinha, tabelar com o Rei e fazer gols de cinema. Durante dez anos na Vila Belmiro fez quase 400 gols.
E se fosse magro, teria feito quantos? – pergunta o calhorda da esquina.
Calhordas não merecem resposta.
Ao contrário de vários jogadores que, quando gordinhos, perdiam agilidade e ganhavam fama ruim, Coutinho foi desafiando a lógica das calorias e entrou para a história.
Ronaldo, que viu o apelido “Fenômeno” ser trocado no fim da carreira pelo pejorativo  “O gordo”, também calou a boca dos nutricionistas fazendo um punhado de gols pelo Corinthians.
Mas o texto é sobre o novo Coutinho.
Walter.
Neste primeiro turno do Brasileirão, é um dos jogadores mais elogiados. Vem encantando cronistas, assustando zagueiros e inspirando a torcida do Goiás.
Ele sabe que está acima do peso. Ganhou o apelido de Tufão. Tem quase 1,80m e mais de 90 quilos. Intrigas da oposição dizem que chegou a pesar 100 quilos quando foi jogar no Porto.
Walter pede que mudem o disco, pois não agüenta mais falar sobre o assunto.
Mas não tem jeito. O pernambucano que surgiu na base do Internacional, fez sucesso, parou na seleção brasileira sub-20, foi vendido ao Porto e teve uma passagem fugaz no Cruzeiro, já tem uma carreira andarilha aos 24 anos. Culpa da barriga ou da desconfiança dos departamentos médicos.
Em Goiânia, dizem as boas línguas, Walter adora se jogar de cabeça nos prazeres dionisíacos do… refrigerante! Sim, senhores, Walter adora refrigerante.
- Como muita besteira também à noite. Biscoitos recheados, por exemplo – confessa.
O departamento médico, o preparador físico e o fisiologista do Goiás sabem que tem um desafio pela frente. Porém, são sensíveis o suficiente para entender porque Walter come tanto. Porque era pobre.
Simples assim.
Walter teve infância difícil, namorou a fome e venceu na vida engolindo sapo. Enquanto meninos de Boa Viagem tomavam iogurte, ele comia o pão que o diabo amassou. Como muitos jogadores, lutou, pegou ônibus, andou a pé, enfrentou dificuldades, pensou em desistir, mas chegou lá. É jogador de futebol, com um bom salário e vida digna.
Habilidoso, driblador, chute forte e passe preciso, Walter é olhado pelas hárpias pessimistas como uma espécie de talento prestes a ser desperdiçado. Só que a lógica da magreza, que aliás leva a neurose muitas mulheres vítimas deste padrão besta de beleza, está sendo substituído pelo “mistério do gordinho”.
Quem sabe veremos carros desfilando pelas ruas com o plástico “Sou gordo, mas sou craque”? Em seguida, “Sou gorda, mas sou gostosa”. E a tirania do padrão quebre a cara mais uma vez.
Que possamos sempre chamar Walter de “o novo Coutinho”.
Pois quem engorda para ser abatido é boi. E não candidato a craque.
Viva o Gordo.
(Texto de Sidney Garambone)
vdk
vdk
===Gloriosa (103)===
vdk

10 comentários:

Tarcisio disse...

Não sei se foi sorte, prefiro dizer que foi competência.
Com um time combalido e NegoSee sentindo muito o ritmo do jogo (acho que não jogou bem mas tem crédito), o Fogão conseguiu calar o Independencia, conseguiu mostrar aos seus torcedores que há vida sim após a era Vitinho. Pôde, apesar de dominado uma boa parte do jogo, mostrar muita luta e determinação. estão todos de parabéns pois souberam honrar a camisa. Eu já tinha jogado a toalha após o gol do Galo mas me curvei a entrega desse time que surpreendeu a muitos Botafoguenses e adversarios.
Sorte????
Prefiro crer em competência.

O time da Raposa abdicou do ataque e jogou pelo empate mas foi punido no final com o gol do Elias que para mim não foi sorte e sim competencia.
Agora é curar as feridas e pensar no tricolor paulista que ressurgiu das cinzas, depois sim, pensaremos no Rubro negro com carinho.

Abs a todos

Tarcisio disse...

Sobre o See de ontem, disse que não jogou bem, a perda de bola no meio campo, deu origen ao segundo gol do Galo. Acho o peso da idade se faz presente qd o adversario joga rápido e com um grande volume de jogo, como foi o jogo de ontem.
Mas como disse, ele tem crédito e ontem tentou organizar a equipe do jeito que deu, orientando e gesticulando como é de seu feitio, um maestro em campo.

Abs

Chico da Kombi disse...


Boa tarde, amigos.

Tarcisão, meu rei, insubstituível só a mãe da gente...

Contra o Campeão da América, o Fogão jogou com brio e raça, demonstrando que o grupo está unido no seu objetivo.
Time bom a sorte ajuda. Escapamos do líder Cruzeiro e vamos pegar um time fraco da rabeira da tabela.


Força, Fogão!


Abraços ireceenses.


fluminense disse...

Boooooooooa tarde Amigos.

Com o Fluminense desclassificado vou ficar na torcida pelo Botafogo para que mande os ODIADOPATAS para casa com om o rabo entre as pernas, abram olho que nestas horas a "sorte" costuma ajudar o mais odiado!


Um The Best Abração para todos.


STSF Olavo

Fernando xaruto disse...

No Horto é Fogo!!!
No Maraca diante do Mengão será palha

Chico da Kombi disse...


The Best Olavo, obrigado pela força.

Lamento a eliminação do Flu, que contratou o ex-treinador Luxeco e colheu o que plantou.
:(

Abraço.

CARLITO disse...

Aos poucos, revela-se que Maurício Assumpção está longe de ser o que aparenta e que enganou até muita gente boa.

Sua administração é um desastre.

Além de ter aumentado a dívida do Botafogo para, segundo os cálculos mais modestos, 600 milhões de reais, até a parte que estava consolidada, e permitia ao clube tocar sua vida sem maiores percalços, foi por água abaixo, porque o clube não cumpriu a chamada Ata Trabalhista, ao tentar ludibriar a Justiça do Trabalho.

Ao criar duas empresas, a Companhia Botafogo e outra para gerir o Engenhão, o Glorioso deixou de saldar seus compromissos na proporção real de seu faturamento, pois canalizava os recursos para tais empresas, disfarçando o as somas que entravam no clube.

Prática devidamente flagrada pela Justiça e que, registre-se, começou ainda antes da até hoje mal explicada interdição do estádio.

E mal explicada por quê?

Porque Assumpção entrou para a política mais miúda do Rio de Janeiro ao filiar-se ao PMDB do governador fluminense e do prefeito carioca, numa óbvia sinuca de bico, impedido de se manifestar e de defender o interesse do Botafogo com a veemência que o caso exigia.

O episódio da venda de Vitinho é apenas a gota d’água, mais uma prova da incompetência administrativa de quem, faz tempo, vem jogando para a plateia, até com lances melodramáticos.

Lembremos que logo no começo de sua gestão, em 2010, um empréstimo feito na CBF de 8 milhões de reais, mudou sua posição de apoio ao Clube dos 13 para ser candidato como vice-presidente da chapa de Kléber Leite, apoiado por Ricardo Teixeira e pela Globo Esporte.

Ali já ficava claro que, antes de pensar no Botafogo, Assumpção pensa apenas nele mesmo.

A diferença para agora é que muito mais gente, e dentro do clube, se deu conta disso.

Daqui por diante sua vida não será fácil.

Porque como já dizia Abraham Lincoln, “você pode enganar uma pessoa por muito tempo, algumas por algum tempo, mas não consegue enganar a todas por todo o tempo”

Escrito por Juca Kfouri.

Com a palavra os Kombeiros. Boa tarde.

Ah o jogo do Atlético MG. Nada de mais. Eles são nossos fregueses.

fluminense disse...

O Luxemburgo mostra que é um coiseiro safado ainda não acabou o 1º turno e o babaca já fala em compromisso de não deixar o Fluminense ir para 2ª divisão, se eu fosse o PS encostava o cara e colocava um técnico da base comandando a equipe, outra coisa, não vamos contratar ninguém e com este plantel vai ser Pho..!


STSF Olavo

Chico da Kombi disse...


Carlito, quem criou a Companhia Botafogo foi o Bebeto de Freitas, para conseguir arrendar o Engenhão.


"Essa questão das dívidas do Botafogo tem algumas variáveis importantes. Existe uma orientação do CRC, para que façamos as atualizações dos nossos passivos. Parece que essa regra vai ser institucionalizada e todos os clubes terão que fazer isso. O Botafogo já cumpre isso, desde 2009. Alguns clubes não estão atualizando e outros estão entrando na justiça para não terem que atualizar. A partir do momento em que todos os clubes tiverem que cumprir a lei, aparecerão números assustadores, em relação a eles", garantiu Maurício Assumpção em Junho/2012.

O presidente passa e o Botafogo fica, porque o Fogo é Eterno.

Abraço ireceense.



DataKombiNews disse...


Carta para o Vitinho:

http://www.casseta.com.br/lapena/2013/08/29/oi-vitinho-tchau-vitinho/